sábado, 23 de maio de 2009

MÉTODOS DE ENSINO DE LÍNGUA INGLESA

“As metodologias de ensino em Língua Inglesa vêem evoluindo ao longo da história de acordo com os grandes pensadores que se debruçam sobre tal tema. Assim como ocorreu há décadas atrás, os métodos para a aquisição de uma segunda língua ainda sofrem modificações. O passado e o presente deste ensino são representados por três principais metodologias. Cronologicamente, são elas: A gramática e tradução, que se caracteriza por ter um cunho tradicional ligado à modalidade escrita da língua e está praticamente extinta. O audiolinguismo, que ainda se encontra em fase de transição em algumas instituições e é conhecido por ser uma metodologia repetitiva e exaustiva para o educando, pois se baseia nas teorias behavioristas e no estruturalismo de Skinner e Saussure respectivamente. E a abordagem comunicativa, que até então se mostra ser a mais eficaz entre estas, afinal, está alicerçada em teorias sócio-interacionistas de pensadores contemporâneos como Vygotsky e Piaget, gerando assim uma aquisição mais natural e significativa para os estudantes. Atualmente a maioria das instituições de ensino de língua estrangeira se utiliza desta última.”

O texto acima é uma sinopse feita por nós do texto “O aprendizado de línguas ao longo de um século” de Ricado Schütz, que é autor ativo de um dos melhores sites relacionados ao ensino de língua inglesa na web. Além de abordar as metodologias de ensino em geral, o autor também envolve temáticas diversas acerca do estudo de língua estrangeira em seus textos. Se você quiser conhecer a versão completa do texto citado acima, acesse o link a seguir:

http://sk.com.br/sk-apren.html

Mas não deixe de explorar os outros tópicos do site, pois sãp muito interessante tanto para o estudante quanto para o professor de língua estrangeira. Lá você pode encontrar várias dicas para um melhor processo de ensino-aprendizagem e aprender um pouco mais sobre a aquisição de língua inglesa em geral:

http://sk.com.br/sk.html

Fonte: http://sk.com.br/sk-apren.html

O gráfico acima mostra o desempenho das diferentes metodologias utilizadas pelas instituições de ensino de língua inglesa com base nos resultados do TOEFL (Test of English as a Foreign Language), que é o teste de proficiência mais utilizado atualmente. Como você pode perceber, a abordagem comunicativa (Natural Acquisition) é a mais eficaz entre as três. Mas quais seriam as principais características existentes entre essas três vertentes do ensino de língua inglesa? Vamos analisar de maneira resumida:

O Método da Gramática e Tradução
1. As aulas são ministradas na língua materna do aluno, havendo pouco uso ativo da língua-alvo; 2. Os alunos deverão ter domínio 2. Os alunos deverão ter domínio da terminologia gramatical e o conhecimento profundo das regras do idioma com todas as suas exceções;
3. A leitura dos textos clássicos difíceis é feita em estágios iniciais;
4. A tradução da língua-alvo para a língua materna é um exercício típico;
5. Pouca atenção é dada ao conteúdo dos textos, que são tratados como exercício de análise gramatical;
6. Pouca ou nenhuma ênfase é dada a pronúncia;
7. Não é preciso que o professor saiba falar a língua-alvo.

O Método Audiolingual
1. O aluno deve primeiro ouvir, depois falar, e então ler, para finalmente escrever na língua-alvo; 2. Baseia-se na análise 2. 2. 2. 2. Baseia-se na análise contrastiva entre a língua materna (L1) e a língua-alvo (L2);
3. O material novo é apresentado sob forma de diálogo;
4. Depende-se da mímica, da memorização de um conjunto de frases e da aprendizagem intensiva através da repetição, pois acredita-se que a língua é aprendida através da formação de hábitos do tipo S – R – R (estímulo – resposta – reforço);
5. Há uma seqüência nas estruturas gramaticais, que são aprendidas uma de cada vez;
6. Há pouca ou nenhuma explicação gramatical; a gramática é ensinada indutivamente;
7. Nos estágios iniciais, o vocabulário é rigorosamente controlado e limitado. E a pronúncia é enfatizada desde o início;
8. Há um grande empenho em se evitar que os alunos cometam erros;
9. Há o uso insistente de fitas gravadas, laboratório de línguas e material visual. As respostas certas são automaticamente reforçadas positivamente;
10. É permitido o uso controlado da língua materna do aluno;
11. Pode-se comparar o professor a um treinador de animais, como um papagaio, por exemplo; 12. Dá-se importância ao aspecto cultural da língua-alvo (L2);
13. Há grande tendência em se manipular a linguagem sem preocupação com o conteúdo.

O Método Natural
Esse método tem por objetivo desenvolver a aquisição (uso inconsciente das regras gramaticais) da língua em vez da aprendizagem (uso consciente). Dessa forma, a fala surgirá naturalmente, sem pressão do professor. A premissa básica é que o aluno deve receber um input lingüístico quase totalmente compreensível, de modo a ampliar sua compreensão da L2.
Características principais:
1. A pronúncia não é enfatizada e encara-se a perfeição como uma meta não realística;
2. O aluno é responsável pela própria aprendizagem;
3. A gramática é ensinada indutivamente;
4. Os erros são vistos como algo inevitável, algo que pode ser usado construtivamente no processo de ensino;
5. Espera-se do professor tanto uma boa proficiência geral da língua-alvo (L2) como habilidade de analisar a língua.

Agora que você já compreende um pouco mais de cada metodologia enfatizada acima, qual seria a metodologia utilizada pelo professor no vídeo abaixo?

video

Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=XIeG-u8mhLg

Pois é, trata-se realmente de um discurso ideológico baseado nos métodos naturais de aquisição da língua inglesa. Ele parece ser tão seguro do que fala, não é mesmo? Sempre quisemos um professor desses no ensino médio. (Risos)

Fontes:
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/aa/Blueye.JPG
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/b8/Ear.jpg

“Você é mais visual ou auditivo?”

Alguém já te perguntou se você é mais visual ou mais auditivo? Esta é uma pergunta muito interessante quando relacionada ao estudo de língua inglesa, sabia? A probabilidade de você se comunicar em língua inglesa com mais facilidade que outros está intrinsecamente relacionada a esta perguntinha que parece ser tão simples, não é mesmo? Podemos resumi-la através das seguintes proporções:

Quanto mais auditivo você é, mais você irá assimilar.
Quanto mais visual você é, mais você irá decorar.

Fonte: http://sk.com.br/sk-talen.html

É isso mesmo. Para compreender melhor o que estou tentando dizer, assista ao seguinte slide-show:

http://sk.com.br/tendencias.ppt

Com todas essas informações você deve estar pensando qual seria a melhor maneira de se aprender Inglês, não é mesmo? Pois bem, vamos te dar uma mãozinha. Abaixo se encontram, por hierarquia, as melhores maneiras de se aprender a língua inglesa.

Fonte: http://sk.com.br/sk-oque.html
Adaptado por nós.

Gostou? Pois é, além de saber ouvir bem também é necessário se expressar bem, ser amigável e desinibido. Afinal, a língua é um fenômeno social, para aprendê-la é necessário haver interação.

Fonte: http://www.luciaarantes.blogspot.com/

Ok! Aí você pode nos perguntar: A interação nem sempre depende só do aluno, qual seria o professor ideal para o processo de ensino de língua inglesa? Boa!

Existem alguns pontos a serem utilizados em sala de aula por um bom professor de língua estrangeira. São eles:

1. Competência na língua e na cultura: A primeira e fundamental condição de um bom instrutor de língua estrangeira é que fale muito bem o idioma, com fluência e naturalidade, e que tenha plena familiaridade com a cultura estrangeira.

2. Características de personalidade: O bom instrutor é normalmente descontraído, alegre, tem bom senso de humor, facilidade de relacionamento e sensibilidade para saber lidar com pessoas com diferentes graus de autoconfiança. Não é aquele que ostenta seu conhecimento lingüístico e corrige o aprendiz; é aquele que desenvolve autoestima e autoconfiança no aprendiz. É aquele que desempenha um papel de facilitador, colocando-se num plano de igualdade e não de superioridade. É aquele que explora o plano afetivo e empatiza com o aprendiz.

3. Qualificação acadêmica: É indispensável que o instrutor tenha clara consciência dos conceitos de aquisição de linguagem e desejável também que tenha conhecimentos de psicologia educacional, lingüística comparada, diferentes métodos de ensino de línguas, fonologia e alguma experiência como instrutor.


Fonte: http://sk.com.br/sk-como.html#instr

Bem, aqui neste post foram focadas as três principais metodologias de língua estrangeira e temas relacionados. Se você gostaria de conhecer um pouco mais sobre as outras metodologias existentes, dê uma olhada nos seguintes links:

http://recantodasletras.uol.com.br/arquivos/886282.doc
http://www.hottopos.com.br/videtur6/selma.htm
http://www.ensino.eb.br/artigos/artigo_edu_metodos.pdf

Porém, se você gostaria de focar na abordagem comunicativa, veja os links a seguir:

http://www.ufsm.br/lec/02_01/MarcioLC6.htm
http://bdtd.ufal.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=373

Vale a pena também conferir o seguinte slide-show sobre o aprendizado de línguas:

http://sk.com.br/aprendizado.ppt

Não se esqueça de participar de nossa enquete sobre “metodologias de ensino de língua inglesa no ensino médio”.

See U!

Por Maurício Lopes e Vinícius Guimarães.

Nenhum comentário:

Postar um comentário